Transformação digital e Inovação ganhou espaço nos últimos anos e é um processo que continuará em alta, pelo menos, pelos próximos três anos. A explicação para essa perspectiva é simples: nenhuma empresa vai se manter competitiva ou sobreviverá se não investir seriamente no processo de disrupção e digitalização. Estimativa da IDC aponta que o nível de transformação digital será o principal qualificador das empresas líderes de mercado em 2020.

Para garantir que a empresa se transforme sem perder espaço e estratégia de negócio, a Gorgonho Consultoria e Treinamento possui expertise para alavancar e realizar essa transformação disruptiva rumo a digitalização da empresa.

Firmamos em três pilares dessa transformação:

Gestão: é preciso definir políticas e processos internos, o que requer a união de diversas áreas de negócio, especialmente Recursos Humanos, para construir um modelo de governança que mostre o ponto em que a companhia está e até que nível tecnológico ela vai chegar – incluindo planejamento, prevenção e mitigação de riscos. Nessa etapa, também é preciso fazer uma análise financeira para mensurar os impactos de redução ou aumento de custos para o negócio. Adotar as melhores práticas de gestão de TI e negócios (como ITIL, Six Sigma e Agile), garantirá uma padronização dos processos e fará com que o caminho rumo à  transformação digital seja seguro e claro para todos.

Infraestrutura: é fundamental conhecer o legado para definir quais mudanças serão implementadas e se o processo será interno ou por meio de outsourcing. Isso ajuda a construir um plano de risco para o projeto, de forma a antecipar potenciais problemas por meio de testes e outras ferramentas. Nesse processo é importante fazer uma avaliação detalhada da estrutura existente, preferencialmente utilizando avaliações de diversos especialistas, tanto de dentro da empresa quanto de parceiros confiáveis do mercado. Em todo tipo de análise, as avaliações carregam junto consigo preferências pessoais. Por isso, utilizar consultores internos e externos ajuda a equilibrar as recomendações, o que permite que as decisões sejam mais equilibradas.

Pessoas: trata-se do momento mais complicado, pois requer entendimento de prioridades, motivações e preferências, tanto em âmbito profissional quanto em pessoal de cada indivíduo. Pensar em transformação digital e presumir que todos os colaboradores e clientes vão se adaptar às mudanças facilmente e sem impacto em produtividade é um dos maiores erros que as companhias cometem. Uma coisa é certa: se as pessoas não adotam as mudanças, todo o investimento se perde.